• Sérgio Luiz Potrich

Interior: Prefeitura de Santo Antônio recorre ao TJ sobre greve política promovida pelo Sintep


A prefeitura municipal de Santo Antônio de Leverger, (Município distante 30 km da capital), recorreu nesta terça-feira (22) junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso contra a greve deflagrada na manhã desta mesma terça-feira, e que envolve uma parte dos servidores da rede municipal de ensino. 

Ao longo da manhã e parte da tarde desta quarta-feira (23) nossa reportagem local do Site Zero Hora Notícias  percorreu diversas escolas no município, e 98% das escolas estão com o funcionamento normal, apenas as escolas na sede onde os lideres do movimento grevista se concentram estão paradas.

O Sintep esta reivindicando um aumento salarial de 6.81%, enquanto a inflação acumulada do ano chega a 2.0%, além do reenquadramento de todos os profissionais da educação no PCCS. Em resposta as reivindicações o prefeito, Valdirzinho (PSD) ofereceu um ganho real de 2.07% acima da inflação, tendo em vista que nos últimos anos os professores tiveram um aumento de 48.0%. Quanto o reenquadramento uma comissão criada pelo prefeito esta terminando os estudos e os impactos que trará para a folha em momento de crise e contenção de gastos, revelou uma fonte do gabinete do prefeito de Santo Antônio.

O prefeito revelou a reportagem que a data base para o reajuste anual é maio para ser pago na folha de junho, no ano passado o decreto do reajuste anual foi publicado no dia 23 de junho. Dessa maneira o gestor acredita que o movimento grevista seja puramente política. CORPORATIVISMO No documento protocolizado junto à prefeitura pela direção do sindicato consta também um pedido pelo arquivamento de dois Processos Administrativo Disciplinar – PAD, que já esta em andamento contra dois professores, que estão entre os líderes do movimento no município, o PAD foi instaurado por insubordinação. 

Aos dirigentes do sindicato a Prefeitura teria respondido que não ira discutir o assunto por ser um processo interno da administração, e não podendo nem estar em pauta de reivindicação de um sindicato por se tratar de um processo individual, administrativo e de sigilo funcional. Alguns professores que não aderiram ao movimento revelaram para nossa reportagem que esse movimento é puramente politico para tentar salvar a pele dos colegas que estão sendo investigados e podem até ser exonerados dos cargos que ocupam. A reportagem procurou a presidente do sindicato, professora Claudinete Magalhães da Silva, mas foi informada que ela esta em viagem representando o Sintep de Leverger num congresso (CONAPE).

 A reportagem também tentou contato com o professor, Gonçalo Maia (Substituto), mas ele também não foi encontrado pela reportagem até o fechamento desta edição. 

Da Redação 

#GrevePolítica

0 visualização
Quem Somos | Redação | Contato
  • Zero Hora Notícias

© 2017 por CaradaWeb.com | Todos direitos reservados.