• Com Midia News

Zanatta nega obstrução e diz que gravou Sílvio para se resguardar


O ex-secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Alan Zanatta, disse nesta terça-feira (21) que resolveu gravar a conversa com o ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Silvio Corrêa, apenas para se “proteger” e “resguardar”.

A afirmação foi feita em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga suposta quebra de decoro por parte do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB).

Na conversa, o ex-secretário e o ex-assessor comentam sobre a filmagem feita por Sílvio em que deputados e ex-deputados, incluindo Emanuel, aparecem recebendo maços de dinheiro no Palácio Paiaguás, supostamente a título de propina para apoiar a gestão de Silval.

A CPI apura se Zanatta tentou obter declarações de Silvio que pudessem inocentar o prefeito. Essa gravação foi entregue pelo ex-secretário a Emanuel.

“A iniciativa [de gravar o áudio] foi minha. O Estado estava passando por momentos de turbulência... Fui à casa do Silvio e gravei por proteção, para me resguardar. Não sabia o que ele queria comigo. Quando o 'Coxinha' [que seria um funcionário de Sílvio] foi me buscar no apartamento, me deu esse estalo e resolvi gravar”, disse.

Zanatta afirmou que o prefeito não sabia com antecedência da conversa e que resolveu entregar o áudio para ele, após perceber que os fatos não batiam com a delação feita por Silvio.

O ex-chefe de gabinete de Silval delatou que o dinheiro recebido por Emanuel era provinente de propina. O prefeito, por sua vez, nega e diz que o montante é uma dívida do ex-governador Silval Barbosa com seu irmão, Marco Polo Pinheiro.

Foi uma conversa tranquila. Revendo a gravação, vi que o que estava saindo na imprensa não batia com a realidade daquilo que eu estava conversando com Silvio. Ai resolvi ligar pro Emanuel e disse que queria falar com ele

"Chegando na casa do Silvio, falamos vários assuntos, sobre cenário político, citamos vários políticos. Foi uma conversa tranquila. Revendo a gravação, vi que o que estava saindo na imprensa não batia com a realidade daquilo que eu estava conversando com Silvio. Ai resolvi ligar pro Emanuel e disse que queria falar com ele ", afirmou.

Áudio não foi alterado, diz Zanatta

Questionado pelo vereador Adevair Cabral (PSDB), relator CPI, Zanatta esclareceu que não alterou, de nenhuma forma, o áudio.

“Do jeito que foi gravado foi entregue [ao Emanuel]. Não há uma vírgula alterada. Se eu tivesse premeditado eu ia usar tecnologia. Eu gravei de um celular. A qualidade não é boa, não sou experiente em fazer gravação”, disse.

Adevair , então questiona se o ex-secretário acha que Silvio mentiu. Alan diz que prefere não responder.

O vereador pergunta porque Zanatta resolveu “ajudar” o ex-chefe de gabinete com R$ 6 mil.

“Nunca ofereci ajuda. No final da conversa que tivemos ele pediu ajuda financeira. Na semana seguinte eu ajudei. Fui embora pra Goiânia e pedi que levassem R$ 6 mil reais a ele. O dinheiro foi entregue ao Coxinha . Disse pro coxinha ficar com uns R$ 400 reais porque ele também estava passando dificuldades”, afirmou .

Ao vereador Mário Nadaf , Zanatta afirmou não ter conhecimento se o ex-governador Silval Barbosa pediu realização de pesquisa junto ao Instituto Mark.

“Não sei detalhes. Atuei na campanha do Lúdio Cabral ao governo e o irmão doprefeito vivia muito com o Silvio. Mas não sei detalhes”, disse.

O ex-secretário negou que a gravação era uma tentativa de obstrução da Justiça.

“Nenhum momento houve obstrução. Gravei para me resguardar”, relatou.


17 visualizações
Quem Somos | Redação | Contato
  • Zero Hora Notícias

© 2017 por CaradaWeb.com | Todos direitos reservados.