• Redação com Folha Max

Alan Kardec continua em CPI e lembra que investigação pode resultar em impeachment em MT


Apesar da recomendação do PT para deixar a “CPI das Pedaladas”, que investiga o desvio de finalidade do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) e do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica), o deputado estadual Allan Kardec (PT) descartou deixar a comissão. Por meio de nota, anunciou que permanecerá nos trabalhos investigativos, mantendo a condição de sub-relator da CPI.

“Como professor efetivo da rede pública estadual e cidadão no mandato de deputado, presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, permanecerei na CPI mesmo contra decisão da executiva estadual do PT de Mato Grosso, que desautorizou os parlamentares filiados de compor as investigações”, diz trecho da nota.

Para Allan Kardec, a sua manutenção na CPI assegura que, ao menos, as investigações serão feitas. Ele lembrou que foi um dos articuladores para a CPI ser instalada, admitindo que o resultado da comissão pode resultar até no impeachment do governador Pedro Taques (PSDB). "Nunca tive a ilusão de que a oposição seria maioria e que teria facilidade de investigar fato tão grave, que pode até, se comprovado, levar ao impeachment do governador por crime de Responsabilidade"

Kardec ressaltou que a presença da oposição é fundamental para que o objetivo da CPI seja cumprido. “Como oposição, sabemos que lutamos junto com a minoria no Legislativo; nem por isso deixamos de denunciar, cobrar, fiscalizar e legislar em prol da população do nosso Estado, mesmo que vencidos no plenário”.

O deputado afirmou que, mesmo em minoria, vai cobrar investigação séria e eficaz da CPI. “Qualquer tentativa de manobra tem que ser denunciada, seja onde for. Por tudo isso, não vou desistir sem luta”.

CONCLUIO

Na última quarta-feira, o PT emitiu uma resolução determinando que filiados do partido não façam parte da CPI das Pedaladas. O motivo é que a composição da comissão, formada por 4 deputados da base governista, tinha objetivo de “proteger” o Governo nas investigações.

O presidente da legenda, deputado estadual Valdir Barranco afirmou que a CPI não passa de um "grande conluio" para que o Legislativo passe a mão na cabeça do Executivo e permita que denúncias contra Taques classificadas por ele como "gravíssimas" acabem em pizza. Segundo a Executiva estadual da legenda, a investigação “nasceu viciada e com o objetivo de inocentar o investigado”.

Íntegra da nota de Allan Kardec:

Em nome da transparência e em respeito à população de Mato Grosso, venho a público informar que:

– Permanecerei como sub-relator na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar suposto desvio de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (FETHAB) e do flagrante desvio do Fundo de Manutenção da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) no montante de 230 milhões de Reais;

– Como professor efetivo da rede pública estadual e cidadão no mandato de deputado, presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, permanecerei na CPI mesmo contra decisão da executiva estadual do PT de Mato Grosso, que desautorizou os parlamentares filiados de compor as investigações;

– A meu ver, permanecer na Comissão potencializa e muito as condições de investigar a grave denúncia de que recursos desses fundos teriam sido usados em outras atividades, o que não foi explicado por parte do governo desde as acusações feitas ao longo de 2017 e em especial no mês de Dezembro pela AMM (Associação Mato-grossense dos Municípios);

– Não podemos desistir antes mesmo de lutar, até porque fui um dos responsáveis pela articulação que levou à criação da CPI. Não poderia recuar agora com o frágil argumento de que a Comissão será comandada pela base aliada ao governo;

– Nunca tive a ilusão de que a oposição seria maioria e que teria facilidade de investigar fato tão grave, que pode até, se comprovado, levar ao impeachment do governador por crime de Responsabilidade;

– Como oposição, sabemos que lutamos junto com a minoria no Legislativo; nem por isso deixamos de denunciar, cobrar, fiscalizar e legislar em prol da população do nosso Estado, mesmo que vencidos no plenário. Não abrimos mão do nosso papel fundamental para o equilíbrio do Parlamento;

– Acredito que nós, deputados de oposição, temos condições de fazer essa investigação mesmo sendo minoria na ALMT. E por fim, qualquer tentativa de manobra tem que ser denunciada, seja onde for. Por tudo isso, não vou desistir sem LUTA.

Professor Allan Kardec Benitez.


13 visualizações
Quem Somos | Redação | Contato
  • Zero Hora Notícias

© 2017 por CaradaWeb.com | Todos direitos reservados.