• RD News

3 dos 5 membros da CPI dos Fundos se mantêm na base do governador na AL


O presidente da Assembleia Eduado Botelho (PSB) definiu os membros que vão compor a CPI dos Fundos, que investigará possível desvio de finalidade do Fethab e do Fundeb. Pelo lado da situação, os titulares são Adriano Silva (PSB), Leonardo Albuquerque (PSD) e Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD) e Mauro Savi (PSB). E da oposição, escolheu o deputado Allan Kardec (PT).

Apesar de estarem na base do governo, Adriano e Savi assinaram o requerimento da CPI. Leonardo e Nininho se recusaram a assinar.

Dos escolhidos, Botelho deve definir na próxima semana quais parlamentares ocuparão os cargos de presidente, vice e relator.

Na suplência ficaram os deputados Janaina Riva (MDB) - oposição, o ainda líder do governo Dilmar Dal Bosco (DEM), Guilherme Maluf (PSDB), Romoaldo Junior (MDB) e Wagner Ramos (PSD) - todos da base, mas descontente com Taques.

A escolha por Allan e Janaina partiu do próprio Botelho, uma vez que o bloco de oposição resistiu em indicar nomes até que seja realizada uma recomposição dos grupos.

Atualmente, existem dois blocos parlamentares. O Bloco Integração (governista) conta com 20 membros enquanto o Bloco Independente (oposição) tem apenas quatro. Existe uma articulação em andamento para a formação de um novo bloco, que pode agregar até 10 deputados descontentes com o governador Pedro Taques (PSDB) e que assinaram o requerimento para instalação da CPI .

Dos titulares da CPI indicados pelo bloco governista, Savi e Adriano estão entre os 16 deputados que assinaram o requerimento para instalação da Comissão e que estariam dispostos a compor o novo bloco, que começa a se esfacelar. Já Leonardo e Nininho se mantêm fiéis a Taques e se recusaram a assinar.

O deputado Oscar Bezerra (PSB), que liderou junto com o petista Allan a coleta de assinaturas para instalação da CPI dos Fundos, está à frente da articulação para formação do novo bloco. Admite, no entanto, que dificilmente conseguirá agregar 10 integrantes como foi previsto inicialmente.

Oscar afirma também que a oposição e os deputados descontentes com o governo não concordam com a determinação de Botelho que indicou os membros da CPI sem indicação do Bloco Independente. Por isso, querem rediscutir o assunto assim que o Colégio de Líderes for retomado, em fevereiro.

A oposição e os defensores do novo bloco argumentam que é preciso esperar a composição dos blocos no início do ano legislativo. Isso porqueas indicações devem respeitar a nova correlação de forças que será formada.


10 visualizações
Quem Somos | Redação | Contato
  • Zero Hora Notícias

© 2017 por CaradaWeb.com | Todos direitos reservados.